É hora de reunir os papéis para a declaração

Faltam cerca de duas semanas para o início do período de entrega da declaração do IRPF (Imposto de Renda da Pessoa Física) 2014 e é importante já começar a separar os papéis necessários para preencher o formulário eletrônico, afirmam especialistas. O alerta se explica, entre outros motivos, porque neste ano o prazo para o envio dos dados deverá ser mais curto. Por causa do Carnaval, o Fisco deve começar a receber as informações no dia 5 de março, mas não deverá haver alteração na data final: 30 de abril.

A Receita Federal ainda não definiu essa questão, também não divulgou as novas normas nem o programa de informática para a declaração deste ano – o que deve ocorrer nos próximos dias. De acordo com cálculos da consultoria Confirp, será obrigado a declarar quem recebeu durante todo o ano de 2013, rendimentos tributáveis cuja soma supere R$ 25.661,70, mas esse número ainda não foi confirmado pelo governo.

Além dessas informações que faltam, as empresas ainda têm até o dia 28 para fornecer os informes anuais de rendimento de seus funcionários.

Apesar disso, algumas providências já podem ser tomadas para agilizar a obrigação do contribuinte com o Fisco. Já é possível, por exemplo, reunir comprovantes de despesas médicas, com educação do contribuinte e de seus dependentes (como filhos e enteados), recibos de doações efetuadas, documentos que comprovem a compra ou venda de imóveis e operações com ações efetivadas até dezembro de 2013.

Elias Cohen Junior, consultor tributário do escritório Bergamini Collucci Advogados, alerta que agora é o momento de buscar as provas de que gastos dedutíveis foram efetuados no ano passado, se a pessoa ainda não os tiver em mãos. “Dá tempo de pedir (cópia do recibo) para o médico e o dentista”, afirma.

Segundo o consultor tributário Antonio Teixeira, da IOB-Folhamatic EBS, procurar esses papéis e agrupá-los em uma pasta facilitará depois a digitação no formulário. Ele lembra que, em alguns casos, os comprovantes podem ser acessados em sites, como o informe de rendimentos do aposentado, que fica disponível no endereço eletrônico da Previdência Social (www.previdencia.gov.br). Há outras situações em que os documentos podem ser consultados via internet, como informes dos bancos e extrato da Nota Fiscal Paulista (www.nfp.fazenda.sp.gov.br).

Cohen Junior acrescenta que se organizar e separar os dados é importante, já que, quanto antes for entregue a declaração, mais cedo, normalmente, se recebe a restituição.
Dados de familiares demandam atenção

Além de começar a separar os documentos necessários para cumprir a obrigação com o Fisco, é importante que o contribuinte converse com familiares para decidir, por exemplo, em qual declaração vão entrar pais, avós e filhos. “Os pais e avós podem ser dependentes (se tiverem renda de) até R$ 20.529,36”, afirma Antonio Teixeira.

No caso dos filhos, se estes já estiverem fazendo estágio e o pai quiser incluí-lo em sua declaração, é importante que eles não se esqueçam de obter o comprovante de rendimentos e mencioná-los no informe. A falta dessa fonte pagadora deverá fazer com que a pessoa caia na malha fina, assinala Elias Cohen Junior. E ele alerta ainda: “Quando a pessoa trabalhou em uma empresa no início de 2013 e, nos meses seguintes, em outra, muitas vezes ela acaba esquecendo de cobrar o informe da primeira”. Outro erro que pode gerar problemas, segundo Cohen Junior, é se o contribuinte fez uma doação para um familiar. É preciso que ele não se esqueça de incluir a informação em seu próprio formulário.

 

 

Fonte: Diário do Grande ABC

Posted in: