Saiba escolher o melhor modelo para sua declaração do IR 2013

Contribuinte pode entregar dados pelo tipo completo ou simplificado

O acerto de contas com o Leão pode ser feito por meio de dois modelos de declaração: o completo ou o simplificado. O tipo ideal vai depender da quantidade de ganhos e despesas do contribuinte no ano anterior.

A opção simplificada pode ser utilizada por qualquer contribuinte e o desconto obtido é de 20% dos rendimentos tributáveis informados na declaração, sendo que o valor máximo é de R$ 14.542,60.

Nesse caso, não é necessário comprovar as despesas e o modelo é mais aconselhado para os contribuintes que não têm muitas oportunidades de deduções, recomenda o presidente do Sescon-SP (Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis e de Assessoramento no Estado de São Paulo), Sérgio Approbato Machado Júnior.

Já quem conseguiu juntar os recibos de despesas que podem ser abatidas (os chamados gastos dedutíveis) e elas somarem mais de R$ 14.542,60, é indicado usar o modelo completo. Por meio dele, é possível deduzir os gastos com saúde, educação, dependentes, previdência privada e outros.

Esse é o modelo obrigatório para quem quer compensar imposto pago no exterior ou os prejuízos de atividade rural.

Machado Júnior lembra que quem optar pelo modelo completo não pode deixar de guardar todos os comprovantes de rendimentos e das despesas relacionadas na declaração por cinco anos, no mínimo.

Nessa opção também é obrigatório informar os detalhes de todos os rendimentos e gastos, inclusive o CPNJ (Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica) ou o CPF dos beneficiários.

Escolha o mais vantajoso

O próprio programa da declaração apresenta os dois modelos, as duas situações no caso específico de cada contribuinte, e indica qual a maior restituição ou menor valor devido, reforça Machado Júnior.

Segundo ele, é aconselhável iniciar o preenchimento pelo formulário completo, e, em seguida transportá-lo para a opção simplificada.

Quando o contribuinte for gravar a declaração para transmiti-la à Receita Federal, o programa vai mostrar um quadro comparativo para que se escolha o modelo mais vantajoso.

Caso haja dúvidas, o contribuinte pode contratar uma assessoria contábil, sugere Machado Júnior.

– A orientação de um especialista é importante para que se evite erros e a malha fina, ainda mais com a evolução da inteligência fiscal brasileira.

Fonte: Portal R7

Posted in: