Sistema PJe-JT passa por atualização tecnológica e ganha novos recursos

Escolhido pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) como sistema virtual de tramitação de processos do Poder Judiciário, o Processo Judicial Eletrônico da Justiça do Trabalho (PJe-JT) ganhou novas funcionalidades.

O upgrade no sistema ocorreu no início do mês. No total foram acrescidas seis novas opções para facilitar o trabalho de juízes, servidores e advogados.

Um dos novos recursos permite movimentação de vários processos com uma única operação e a comunicação autenticada entre o PJe-JT e o sistema de Audiências da Justiça do Trabalho (AUD), já utilizado por 19 Tribunais Regionais do Trabalho.

Outra mudança foi a criação de um novo filtro de processo para as caixas. O campo “número do processo” foi adicionado como opção de filtro e permite a busca com os seguintes argumentos: último dígito da primeira parte do número do processo ou pelo intervalo referente à primeira parte do número do processo. Nos dois casos, é necessário retirar o dígito verificador.

Também já está disponível, em tempo real, a emissão da Certidão Negativa de Ações Trabalhistas (CNAT), que tem por objetivo informar se determinado CPF/CNPJ consta no polo passivo de processos que estejam em tramitação.

Outra nova funcionalidade possibilita definir, para cada órgão julgador, o tipo de audiência automática de acordo com a classe judicial. Caso essa configuração não seja realizada para todas as classes judiciais, a audiência automática é marcada utilizando o tipo padrão da classe, como já é feito.

Os processos com pedido de sigilo nos documentos não apreciados agora podem ser removidos em lote. O sistema permite que todos os processos desse tipo no agrupador sejam retirados de destaque de uma única vez, desde que tenham sido cadastrados com solicitação de sigilo.

Mensalmente, uma nova versão do sistema, com novas funcionalidades e correção de eventuais erros, será liberada aos Tributais Regionais do Trabalho (TRT).

De acordo com o artigo 42 da Resolução nº 94, do Conselho Superior de Justiça do Trabalho (CST), as equipes técnicas dos Regionais têm sete dias para implementar as atualizações a partir da liberação.

Fonte: TI Inside

Posted in:

Deixe uma resposta