ITI registra a emissão de 5 milhões de certificados digitais em sete anos

Os números relativos à Certificação Digital chamam a atenção assim como o reflexo positivo de sua adoção em larga escala no Brasil. Até a abril deste ano, foram emitidos 5 milhões de certificados digitais ante 2 milhões apurados no ano passado, diz o ITI (Instituto Nacional de Tecnologia da Informação).

O padrão ICP-Brasil foi criado em 2002. Desde então, os casos de sucessos na esfera pública surgiram em grande profusão. O exemplo mais marcante talvez seja o projeto SPED (Sistema Público de Escrituração Digital).vCom a sua implantação, deixaram de ser emitidas 4,2 bilhões de notas fiscais em formulário de papel.

Com o SPED, há uma economia de cerca de 70 bilhões de folhas de papel, considerando uma nota em quatro vias, o que equivale a R$ 510 milhões – se cada folha custar 0,03 centavos. Isso sem contar o ganho de carbono, em 15 anos, que chega a 851 mil toneladas, preservando as árvores.

Outro exemplo de sucesso do uso da certificação digital são as transações que se referem à COMPE (Centralizadora da Compensação de Cheques) e às TED (Transferências Eletrônicas) por conta de clientes.vDe acordo com as estatísticas do Banco Central, em 2011, a COMPE compensou mais de 51 milhões de cheques. De janeiro a julho deste ano, foram cerca de 27 milhões.

Essa tecnologia limpa proporciona imensa economia porque dispensa a frota de caminhões blindados, tanto no tocante ao consumo de combustível quanto na melhoria da mobilidade urbana e poluição dos motores a diesel.vJá a TED apresentou cerca de 11 milhões de transferências chegando a quase R$ 6 milhões. Até julho deste ano, o sistema aponta mais de 9 milhões de transferências e cerca de R$ 4 milhões.

A Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) alcançou em 2011 a marca de 1,9 bilhão de emissões e, no acumulado, chegou a 5,167 bilhões de emissão, com mais de 800 mil empresas emissoras, segundo dados da Receita Federal.

O programa Conectividade Social, da Caixa Econômica Federal, registrou 855 mil empresas com 23 mil empregados beneficiados. Este programa simplifica o processo de recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) pelas empresas, reduzindo custos operacionais e aumentando a comodidade, segurança e sigilo das transações. Quanto aos contratos de câmbio, de acordo com o Banco do Brasil, em 2011 mais de 280 mil foram assinados digitalmente com certificados digitais padrão ICP-Brasil, contabilizando mais de R$ 180 milhões.

Até junho de 2012, foram assinados 92 mil contratos em um montante de mais de R$ 76 mil. Esses números em análise mostram a economia de tempo, papel, energia, água, combustível dentre outros recursos, com o uso de tecnologia limpa, baseada em software e hardware seguros, sem poluição e a possibilidade de reposição de carbono na atmosfera por evitar o corte de árvores.

Outros benefícios esperados com a desmaterialização de processos são: a redução de custos com estocagem, por não ser mais necessário o armazenamento de todo o papel utilizado; maior facilidade de busca de informações; mais agilidade e transparências dos processos; redução da burocracia; padronização de documentos e integração com os sistemas estruturantes governamentais.

Fonte: TI Inside

Posted in:

Deixe uma resposta