Uma campanha de orientação das empresas sobre a EFD do PIS/Cofins

Especializada em soluções para as áreas contábil, fiscal e trabalhistas, a Contmatic Phoenix pretende fazer uma campanha para orientar os profissionais de contabilidades sobre os procedimentos corretos da Escrituração Fiscal Digital (EFD) do PIS/Cofins.

Os arquivos devem ser transmitidos pelas empresas do Lucro Real, Presumido e Arbritrado em fevereiro e março do próximo ano, mas essa exigência é considerada muito complexa por causa do volume de informações que precisam ser consolidadas.

Na campanha, a Contmatic Phoenix pretende oferecer uma série de cursos e palestras, com a participação de especialistas, para orientar os contribuintes e passar dicas rápidas, para permitir a melhor compreensão do sistema.

“Alguns profissionais da área tributária ainda sentem-se inseguros e despreparados para lidar com o sistema de obrigatoriedade fiscal. Os cursos da Contmatic vêm exatamente para facilitar essa relação”, diz Mário Hessel, diretor executivo da empresa.

A entrega dos arquivos da EFD do PIS/Cofins já foi prorrogada uma vez pela Receita Federal. Os contribuintes ganharam mais tempo, entretanto o volume de informações que deverão ser transmitidas também aumentou.

Assim, as empresas que ainda não adotaram um sistema adequados para gerar e transmitir os arquivos devem se apressar, alerta Alexandre Noviscki, diretor da H2A Soluções Corporativas.

“Com o sistema digital, muitas empresas tiveram dificuldades devido aos campos de informações, antes não existentes”, diz o executivo, ressaltando a importância de adoção de soluções inteligentes para adequação às novas regras, evitando atrasos e multas desnecessários.

Como alternativa para enfrentar o desafio da EFD do PIS/Cofins, o diretor da H2A cita a criação de um comitê especializado para elaboração, acompanhamento da geração e apresentação dos arquivos digitais. Seria uma forma de identificar desvios em processos operacionais, acredita.

Para Alexandre, as vantagens são a tranquilidade na hora de preparar e entregar as obrigações fiscais e o ganho de tempo, uma vez que com a prorrogação do prazo de transmissão, o volume de informações aumentou.

“As empresas não podem esquecer que com um maior volume de informações é essencial que os processos comecem a ser feitos agora, para evitar atrasos e também pensando nas possíveis dificuldades que podem aparecer ao longo do caminho”, observa.

Fonte:

Posted in:

Deixe uma resposta