TI embarcada chega ao gerenciamento de frotas

Iveco, do grupo Fiat, é pioneira na criação de caminhões, que saem de fábrica com tecnologia para monitorar desempenho veicular.

Transmissão automática de última geração. A única no mercado com 16 marchas e que dispensa totalmente o uso de embreagem. O acionamento das marchas é realizado por meio de teclas no painel. Esses são alguns dos avanços do Iveco Stralis NR Eurotronic, caminhão da linha extrapesada, lançado em abril, pela Iveco – montadora de caminhões, do grupo Fiat, com 27 fábricas em 16 países, incluindo a do Brasil, em Minas Gerais.

Não bastassem todas essas inovações, que tornam o caminhão de 460 cavalos de potência um atrativo para quem pretende iniciar ou construir uma frota, a Iveco, que somente no ano passado vendeu 16 mil unidades em solo nacional, saiu à frente no setor automotivo e embarcou TI em sua arquitetura. O novo caminhão sai de fábrica pronto para gerar todas as informações de desempenho, com o Frota Fácil -sistema de gestão de frota, que produz dados de telemetria veicular.

Pedro Ivo Carvalho, gerente de Projetos da Plataforma de Médios e Pesados da Iveco, diz que o projeto começou a ser desenhado há dois anos, com a proposta de trazer o recurso de fábrica. “Trata-se de um diferencial, pois quando é necessário instalar um sistema para rastreamento ou gerenciamento, se não for embarcado, o veículo é violado e pode perder a garantia”, alerta.

A parceira escolhida para integrar TI à arquitetura do caminhão foi a Compsis, especializada no desenvolvimento, produção e implementação de sistemas. “Ao longo de 2009 e 2010, estivemos integrados com as equipes de engenharia e de marketing da Iveco, reunindo informações e realizando testes para viabilizar o projeto”, diz Márcio Camargo Oliveira, gerente de Projetos da Compsis. Segundo ele, o Frota Fácil foi embarcado inicialmente em outros dois modelos, já em fevereiro, o Cursor e o Stralis NR, ambos de câmbio mecânico.E agora tornou o Stralis NR Eurotronic ainda mais high tech.

As características técnicas do módulo eletrônico da Compsis, denominado Computador de Bordo (CDB), favoreceram a aliança tecnológica entre as empresas. De acordo com Oliveira, o componente abriga recursos focados em telemetria veicular, sensores e uma variedade de interfaces, que possibilitam a geração de informações sobre desempenho, mecânica e procedimentos realizados no veículo. Tudo isso acessível por meio do Frota Fácil, bastando apenas plugar o notebook ou outro equipamento à porta USB localizada no painel do caminhão.

“Ou ainda por meio de portais web providos por empresas de monitoramento veicular.” O pequeno frotista [com até dez caminhões], que não necessita de recursos mais sofisticados como rastreamento, é atendido perfeitamente bem pelo Frota Fácil, sem custos, visto que já vem com o caminhão, informa Carvalho. “O sistema possibilita tomar decisões, controlar o consumo de combustível, medir o desempenho do motorista e extrair o máximo das funcionalidades do veículo.” “Além disso, possui memória flash interna com capacidade de armazenar dados de vários dias de operação, garantindo o acompanhamento desde o início das viagens até o retorno à garagem”, explica Oliveira.

A Iveco já tem como parceiras as empresas Sascar, OnixSat e Autotrac, que oferecem serviços de monitoramento aos clientes, compatíveis com o Frota Fácil. “E vamos ampliar o leque de opções incluindo mais companhias”, adianta Carvalho.

Como funciona

O Frota Fácil utiliza as informações disponibilizadas pelo CDB por meio de um protocolo de comunicação especial e traduz os dados em informações divididas em três categorias principais. Uma delas é a Mecânica, com informações sobre superaquecimento do líquido de arrefecimento do motor e pressão do óleo lubrificante.

A outra é composta pelos Dados da Viagem. Abriga a lista com todas as paradas do caminhão, tempo de permanência em cada uma delas, velocidade média, tempo de condução noturna, na chuva, velocidades máximas registradas, entre outros dados.

Desempenho completa o tripé. Reúne informações sobre consumo de combustível, tempo na faixa econômica, uso do freio motor, excessos de rotação,velocidades excessivas [em solo seco e na chuva, banguela etc].

Todas essas informações podem ser visualizadas por meio de gráficos e relatórios. O sistema possui ainda um recurso para sua atualização automática (similar ao MS Windows), sempre que uma nova versão for disponibilizada nos servidores da Compsis.

À frente da legislação

O projeto de TI nos caminhões seguiu um cronograma paralelo ao da Portaria 245 Sistema Integrado de Monitoramento e Rastreamento Integrado de Veículos (SIMRAV), que exigirá padronização de protocolos de rastreamento, embarcados nos veículos pesados, a partir do final deste ano. A Iveco saiu à frente, já com o módulo alinhado à Portaria do governo. Utiliza o protocolo de telemática ACP 245, estabelecido como padrão nacional pela indústria automobilística, governo e empresas de monitoramento.

O gerente de projetos da Compsis diz que a empresa criou uma extensão dentro desse protocolo, mantendo a compatibilidade com o padrão original. Dessa forma, disponibiliza as informações de telemetria do veículo com foco no gerenciamento da frota, permitindo às empresas de monitoramento veicular oferecer serviços adicionais de gerenciamento de frota (a exemplo do Frota Fácil, de uso local).

O produto ainda oferece recurso de atualização remota de firmware, o Over the Air (OTA), também não padronizado no protocolo ACP 245, mas inserido no CDB para que a empresa de rastreamento realize atualizações. “É muito útil esse recurso, pois quando as atualizações são liberadas, não é necessário ir a um posto de assistência técnica para tal operação”, diz o gerente de Projetos da Compsis.

Oliveira destaca que mesmo antes da entrada em vigor da Portaria 245, a tecnologia da Compsis permite o uso de simcards (chips de telefonia móvel) das operadoras de telefonia do mercado como Vivo, Oi e Claro. “As empresas apenas instalam o chip, configuram remotamente o módulo Compsis via mensagem SMS e iniciam o monitoramento dos dados do veiculo instantaneamente.” Assim que a Portaria entrar em vigor, o CDB utilizará o simcard SIM 245, conforme padrão definido no SIMRAV.

A Iveco, por meio da tecnologia Compsis, foi pioneira no recurso no Brasil, diz Oliveira. “É o único módulo rastreador focado em gerenciamento de frota com ACP 245, equipando regularmente veículos saídos da linha de produção de uma montadora”, conclui.

FONTE: Por Solange Calvo, da Computerworld

Posted in:

Deixe uma resposta