Empresas contábeis podem sofrer apagão de mão-de-obra

Cursos on-line intensificam capacitação profissional para o “tsunami do Lucro Presumido”, como já está sendo chamada a nova onda de mudanças a caminho.

“Sem a preparação imediata dos profissionais das empresas contábeis, dificilmente elas conseguirão atender o prazo da EFD-PIS/Cofins: 1º de janeiro de 2012”. Quem prevê é o professor Roberto Dias Duarte, diretor acadêmico e cofundador da Escola de Negócios Contábeis (ENC).

A expectativa do autor da série de livros “Big Brother Fiscal”, cujo quarto volume está prestes a ser lançado, se deve ao que ele considera “a maior transformação da história da contabilidade nacional”, em decorrência da implantação do Sistema Público de Escrituração Digital (SPED), principalmente no que se refere ao serviço prestado para as empresas do regime tributário do Lucro Presumido.

“Quem atende esse segmento, que corresponde à maioria das pessoas jurídicas brasileiras, precisa iniciar o processo de capacitação de seus profissionais já neste primeiro semestre”, alerta Duarte.

Além da Nota Fiscal Eletrônica (NF-e), fazem parte do SPED a Escrituração Contábil Digital (ECD), a Escrituração Fiscal Digital do ICMS/IPI (EFD-ICMS/IPI), a Escrituração Fiscal Digital das Contribuições PIS/Cofins (EFD-PIS/Cofins), o Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e), o Livro Eletrônico de Apuração do Lucro Real (e-Lalur), o Controle Fiscal Contábil de Transição (FCONT) e outros.

Para se ter ideia da abrangência desse projeto, além dos atuais 600 mil contribuintes emissores de NF-e, em janeiro de 2012, cerca de 2 milhões de empresas estarão obrigadas a participar do SPED Fiscal, seja através dos livros de ICMS/IPI ou PIS/Cofins.

Diante deste cenário, o especialista argumenta que, após analisar a situação e a urgência do problema que se avizinha, a Escola de Negócios Contábeis (ENC) desenvolveu duas frentes de atuação.

Uma delas é a Academia SPED, com foco na atualização de profissionais da área contábil para atuarem, de forma prática, em projetos de Escrituração Contábil Digital (ECD), a Escrituração Fiscal Digital do ICMS/IPI (EFD-ICMS/IPI) e a Escrituração Fiscal Digital das Contribuições PIS/Cofins (EFD-PIS/Cofins).

A outra é a Academia NF-e, centrada na atualização de profissionais da área contábil na prevenção de fraudes decorrentes dos documentos fiscais digitais: NF-e e NFS-e.

“O projeto pedagógico das suas programações tem como base tecnologias de ensino a distância complementada com seminários presenciais, e podem ser cursados por contabilistas em todo o Brasil”, conclui o professor.

Fonte: Agência de Pautas

cofre_digital

Posted in:

Deixe uma resposta