Migração do Conectividade Social para padrão ICP-Brasil começará em maio

A implantação do programa Conectividade Social, canal de comunicação entre a Caixa Econômica Federal e as empresas que recolhem o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) foi o tema de uma reunião realizada na quinta-feira, 31, em Brasília.

Participaram do encontro o Renato Martini, presidente do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI), Maurício Coelho, diretor de Infraestrutura de Chaves Públicas, Joaquim Lima, vice-presidente de tecnologia da Caixa, além de representantes de Autoridades Certificadoras (AC).

A partir da implantação, o acesso ao programa será feito com o uso de certificado digital padrão ICP-Brasil, em substituição ao emitido pela Caixa.

De acordo com Lima, há 33,5 milhões de contas de FGTS ativas e são feitas 7 milhões de transações eletrônicas por mês. Dentro desse sistema, ao longo dos quase 12 anos do programa Conectividade Social, foram emitidos 6,2 milhões de certificados digitais. Atualmente, é feita uma média de 45 mil certificados novos ou renovados por mês.

A Caixa quer contar com a participação de outras ACs, já que o seu foco não é a emissão de certificados. A avaliação é de que apenas a Caixa pode não atender a demanda nacional AC-Caixa emite 100 mil certificados por mês, conta com 4 mil agentes de registro e 2 mil das suas agencias estão habilitadas para emitir certificados padrão ICP-Brasil.

Entre janeiro e fevereiro deste ano, a Caixa realizou piloto da migração e o refinamento da versão do Conectividade Social com certificados padrão ICP-Brasil, que oferecerá às empresas um número maior de opções e informações sobre as transações e repasses.

Nos meses de abril março e abril foram dedicados à capacitação do público interno e da central de atendimento da própria Caixa. O início do processo de migração está previsto para a partir de maio, após a emissão de circular estabelecendo esses novos procedimentos.

Para o presidente do ITI, Renato Martini, a iniciativa será um incentivo para que as pequenas e micro empresas entrem para a ICP-Brasil, já que, segundo ele, boa parte das médias e grandes empresas já possui o certificado padrão ICP-Brasil.

A etapa de migração do atual sistema

Durante o processo de migração, que se estenderá até dezembro deste ano, os dois sistemas poderão ser utilizados, para dar tempo que todas as empresas migrem sem nenhum contratempo.

Fonte: TI Inside

contingencia_nfe

Posted in:

Deixe uma resposta