Gartner: gerenciamento de TI é prioridade em 2011 na AL

O gerenciamento de TI aparece em primeiro lugar na lista de prioridades dos CIOs da América latina para 2011, revela estudo da empresa de pesquisas Gartner divulgada nesta terça-feira (5/4) em São Paulo. Na edição 2010 do estudo, a questão sequer aparecia.

O levantamento foi um dos destaques do primeiro dia da Conferência Gartner Data Center. O evento, que termina hoje (6/4), põe no centro das discussões temas que estarão em alta nos próximos sete anos, como potencial da computação em nuvem, excelência em gestão, virtualização e eficiência energética nos data centers.

Em coletiva de imprensa realizada na manhã desta terça-feira, o analista emérito e vice-presidente do Gartner, Donald Feinberg, mostrou resultados de uma pesquisa com CIOs em todo o mundo. Gerenciamento de TI está em primeiro lugar na lista de prioridades dos executivos da América Latina para este ano.

“Esse resultado mostra a preocupação das empresas em ampliar a gestão nos data centers, reduzir custos e realizar investimentos em outras tecnologias e conceitos emergentes como cloud computing”, diz Feinberg.

Nuvem em segundo

Não por acaso, a nuvem apareceu em segundo lugar na AL e em primeiro no mundo. Em 2010, o conceito estava no topo das intenções de adoção na região latino-americana. Mas isso não significa, de acordo com Feinberg, que o interesse em cloud esteja apagado. “A nuvem chegou para ficar e por aqui, especialmente no Brasil, não é diferente”, assegura Cameron Haight, vice-presidente de pesquisas do Gartner.

Para o analista, a nuvem privada estará em alta nos próximos três a cinco anos nas companhias. “Ainda há grande preocupação com segurança e compliance. Acredito ainda que nuvens híbridas serão realidade nas empresas”, diz Haight.

O vice-presidente de pesquisas do Gartner apontou ainda os motivos pelos quais as organizações devem apostar na nuvem. Entre os destaques estão redução de custo, a possibilidade de pagar pelo uso, rápido e fácil acesso ao ambiente de cloud e menos esforços para gerenciar a infraestrutura. Por outro lado, prossegue, níveis de serviço e a tão comentada segurança são fatores que impedem a sua adoção.

Crescimento do mobile

Segundo o levantamento do instituto de pesquisas, o mercado de mobile também mostra crescimento: passou da quarta posição para a terceira. “iPads e outras tecnológias móveis estão conquistando as empresas e os consumidores”, explica Feinberg.

Virtualização, por sua vez, está no quarto lugar na região, seguida por BI. “O que isso significa? Que empresas estão em nível mais avançado nesses dois pontos. Prioridade quer dizer que companhias já estão fazendo algo. BI esteve por cinco anos no topo das lista de intenções. Isso significa que os CIOs já implementaram Business Intelligence em suas estruturas”, afirma.

De acordo com David Coyle, vice-presidente de pesquisas do Gartner, virtualização ainda pode ser explorada e é uma das tendências do setor de TI dentro e fora AL. “Trata-se de um processo contínuo, mas a maioria das organizações, de 40% a 60%, possui estruturas virtualizadas seja storage, desktops, network, servidores e aplicativos”, afirma.

No entanto, segundo ele, se por um lado servidores são estruturas amplamente virtualizadas nas companhias, desktops e aplicativos ainda não. Cenário que pode mudar nos próximos anos, já que há constante busca por redução de custos e das infraestruturas de tecnologia da informação.

Fonte: Computerworld

cofre_digital1

Posted in:

Deixe uma resposta