Os riscos na utilização de smartphones e tablets

A crescente popularidade dos smartphones na vida corporativa e pessoal pode ser facilmente entendida. A facilidade de acesso a dados, internet e emails na mobilidade, combinados com serviços de dados 3G ou WiFi, fazem com que profissionais e pessoas físicas permaneçam conectados o tempo todo, mesmo ausentes de suas posições fixas no escritório ou em casa.

Apesar de o risco ser cada vez mais evidente, várias pessoas, inclusive gerentes de Tecnologia e Segurança da Informação, ainda não se deram conta de que os smartphones e outros dispositivos móveis, deixaram de ser apenas “gadgets”. As novas ferramentas são computadores portáteis, com razoável poder de processamento, memória, sistema operacional e acesso a redes. Portanto, assim como o crescimento da utilização, os riscos e ameaças também se multiplicam.

Atualmente, há uma pequena porcentagem representativa dos smartphones perante os notebooks e pendrives para armazenamento de dados e conexões, que evoluem tecnologicamente e aumentam presença no mercado. Não somente verificamos diversas ameaças já conhecidas no mundo dos microcomputadores/desktops/notebooks, como também encontramos outras mais específicas, relacionadas ao tamanho diminuto e utilização diferenciada como voz e posicionamento.

Exemplo de riscos na telefonia móvel é que os aparelhos como os smartphones podem facilmente cair do bolso ou da bolsa de uma pessoa, ser esquecido sobre a mesa de um bar, no banco de um táxi ou de um avião, além, obviamente, de estar altamente exposto a roubo, sendo um objeto do desejo hoje em dia. Assim, emails, fotos pessoais, arquivos confidenciais, catálogo de contatos, localização geográfica e diversas outras informações ficariam  facilmente vulneráveis, transformando rapidamente essas facilidades em um pesadelo.

Neste caso, as empresas também podem estar ameaçadas, com sua rede invadida a partir de alguma vulnerabilidade de um aparelho que tenha acesso a ela. E mais, a partir da publicação da quebra do GSM na rede mundial, as ameaças de grampos telefônicos não autorizados estão cada vez mais facilitadas, acabando com toda a privacidade.

As mudanças dos ambientes tecnológicos acontecem muito rapidamente. Por exemplo, em menos de 1 ano, a nova plataforma Android da Google, já ganhou a segunda posição de mercado de smartphones.Os tablets como o iPad e, mais recentemente o Galaxy Tab, prometem revolucionar o mercado de notebooks, netbooks e smartphones. Felizmente, algumas soluções de proteção a esses dispositivos móveis das mais diversas plataformas estão disponíveis.

Na verdade, os grandes players de segurança do mercado, acordaram tardiamente, e começaram a comprar as empresas menores e visionárias. Atualmente, podemos contar com ferramentas de anti-vírus, firewall, localização do aparelho em caso de perda ou roubo, mesmo que troquem o sim card, exclusão  e bloqueio de dados remotamente, além da proteção das conversações através de criptografia.
Soluções para o gerenciamento simultâneo de várias plataformas de smartphones também surgem aos poucos, propondo-se a resolver a dor de cabeça dos gerentes de segurança da informação das empresas, no que diz respeito à telefonia móvel.

A utilização de um conjunto de ferramentas, como as citadas anteriormente, é altamente recomendada, além claro, da importância na adoção das boas práticas da segurança, como não abrir emails ou SMSs desconhecidos, deixar o Bluetooth sempre desativado, investir em cuidados na navegação e procurar deixar o dispositivo sempre bloqueado por senha.

Fonte: Decision Report

bpo_fiscal

Posted in:

Deixe uma resposta