Adiamento da EFD PIS/Cofins é prejudicial às empresa, diz consultoria

A decisão tomada pela Receita Federal, de prorrograr o prazo para transmissão da Escrituração Fiscal Digital (EFD) do PIS/Cofins, pode ser prejudicial às empresas atingidas pela obrigatoriedade.

A avaliação é de Gabriel Rodrigues, diretor da Essence, consultoria de sistemas que auxilia as empresas no cumprimento das obrigações acessórias determinadas pelo Fisco.

Isso porque, segundo ele, é grande o risco de muitas delas postergarem ainda mais o início do projeto, que é bastante complexo, deixando uma vez mais para a última hora. “O saneamento do cadastro é a parte mais difícil do projeto, pois demanda de quatro a seis meses de execução”, afirma Rodrigues.

Prevista inicialmente para abril, a transmissão dos arquivos da EFD do PIS/Cofins ficou para o quinto dia útil do mês de junho, conforme a Instrução Normativa nº 1.085.

Outro aspecto crítico, diz o diretor, é o conhecimento do negócio pelo cliente, para facilitar o fornecimento das informações fiscais e tributárias necessárias para auxiliar o trabalho desenvolvimento pelas consultorias.

Rodrigues se refere, especificamente, ao conhecimento das alíquotas dos impostos, e as suas variantes em cada Estado, que as empresas são obrigadas aos cofres públicos.

Segundo eles, as grandes empresas normalmente contam com o apoio de consultores para auxiliar no trabalho de repasse de informações, mas isso não acontece com frequência na faixa das médias empresas. “O departamento fiscal muitas vezes só obtém essa informação na fase de testes dos sistemas”, revela.

No mercado há sete anos e com um quadro de 320 profissionais, a Essence tem uma forte atuação no atendimento a usuários das soluções SAP. Mas na sua carteira há, também, clientes Oracle e de fornecedores de outras plataformas.

A sua carteira é composta por 50 empresas de médio e grande portes, que têm base no mercado brasileiro e operações em outros países da América Latina. No ano passado, a Essence registrou faturamento de R$ 45 milhões e tem a previsão de terminar o exercício 2010 com receita de R$ 50 milhões.

Fonte: TI Inside

cofre_digital1

Posted in:

Deixe uma resposta