Florence Toalhas contrata NFe do Brasil para adaptação à nota fiscal eletrônica

Solução foi escolhida por ser simples, de fácil utilização, baixo custo e por atender todas as determinações da Receita Federal

Para enfrentar o desafio de adaptar-se ao modelo de emissão de notas fiscais eletrônicas, o grupo Florence de confecções personalizadas que atua no mercado por meio de duas empresas, a Florence Toalhas e a Florence Enxovais, buscou um sistema que atendesse suas necessidades operacionais. A companhia escolheu a solução da NFe do Brasil, empresa especialista em inteligência fiscal eletrônica, no modelo serviço, para emissão, gerenciamento e armazenamento de suas notas fiscais eletrônicas.

Com mais de 3 mil clientes em todo o Brasil e volume médio de emissão de 120 notas mensais, sendo 40 de Enxovais e 80 de Toalhas, a empresa trocou as notas digitadas no computador por uma solução via internet. “Perdíamos muito tempo com a digitação de dados e outras atividades que o modelo antigo exigia. Os novos procedimentos trouxeram mais praticidade e eficiência ao dia-a-dia da empresa, além de proporcionar redução de custos, já que não precisamos mais comprar formulários” explica Creusa Sanchez Morchid, diretora e sócia da Florence Enxovais.

A Florence chegou até a NFe do Brasil por intermédio do seu contador. “Estávamos preocupados com a implementação da nota fiscal eletrônica e em um bate papo com o nosso contador ele nos indicou a fornecedora. Avaliamos, gostamos da solução e adquirimos a um baixo custo mensal”, comenta Morchid. “Entendemos que as melhores empresas tem as melhores tecnologias, e nesse quesito a NFe do Brasil atendeu todas as nossas expectativas”.

Para a Florence, um fator diferencial na escolha da fornecedora do sistema foi o preço. “Além de ser um produto no modelo de serviço, em que só pagamos pelo que utilizamos e não pela licença do software, tivemos um excelente atendimento do suporte técnico da NFe do Brasil”, afirma a executiva.

Para Marco Zanini, presidente da NFe do Brasil, a Florence é um modelo de cliente que formará grande parcela da carteira da empresa nos próximos meses. “Com a obrigatoriedade, mais companhias estão em busca de soluções no modelo SaaS (Software as a Service), para isso, elas buscarão ajuda dos contadores e escritórios contábeis que já estão se adaptando às mudanças, tanto em termos de legislação quanto em tecnologia. Eles podem dar respostas mais rápidas para os clientes que procuram soluções eficazes no mercado”, afirma Zanini.

Fonte: Financial Web

Deixe uma resposta