Entidades de classes terão encontro com a Sefaz para negociar prazo para o SPED

Os prazos para implantação do Sistema Público de Escrituração Digital (SPED) acabaram e ao tempo foi considerado curto para implantar todos os procedimentos necessários. Por isso, representantes das entidades de classes do Tocantins agendaram uma reunião com a Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz), para esta sexta, 26, às 9 horas, para solicitar a concessão de um prazo maior que permita aos empresários concluir de forma segura as mudanças em sua base de dados, para gerar as informações soliticadas pela Receita.

O encontro é para solicitar que o prazo seja prorrogado. As entidades alegam que o despreparo é visível em todos os níveis administrativos das empresas notificadas (mais de 500 em todo o Estado), e que muitas estão ainda no estágio inicial de adequação às novas regras fiscais. São empresas que contam com 5, 10, 20 mil ou mais itens em seu estoque e não iniciaram sequer a adequação do banco de dados com o preenchimento do NCM e GTIM.

A partir de abril, as empresas que não entregarem o arquivo XML referente aos três primeiros meses do ano, vão arcar com multas de R$ 15 mil. As entidades justificam ainda que faltam informação, não só da mão-de-obra que irá operar os sistemas, como também por parte dos gestores, contadores e técnicos em informática.

As entidades que participam do encontro, são: a Federação das Associações Comerciais e Industriais do Estado do Tocantins (Faciet), a Associação Comercial e Industrial de Araguaína (Aciara), a Associação Comercial e Industrial de Palmas (Acipa), a Associação Comercial e Industrial de Colinas (Acicolinas), a Associação Comercial e Industrial de Paraíso (Acip), a Associação Tocantinense de Supermercados (Atos), a Associação do Jovens Empresários e Empreendedores do Tocantins (AJEE-TO), a Associação dos Atacadistas do Estados do Tocantins (Adat), o Sindicato das Empresas Contábeis do Tocantins, o Conselho Regional de Contabilidade (CRC) e Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL).

SPED

O Decreto nº 6.022/2007 institui o Sistema Público de Escrituração Digital (SPED), prevendo que os livros e documentos contábeis e fiscais serão emitidos em forma eletrônica. O SPED é instrumento que unifica as atividades de recepção, validação, armazenamento e autenticação de livros e documentos que integram a escrituração comercial e fiscal dos empresários e das sociedades empresárias, mediante fluxo único, computadorizado, de informações. (Com informações Acipa)

Fonte: Portal Estilo

Deixe uma resposta