Modernização da contabilidade das empresas é obrigação

As mudanças na legislação tributárias com o início da obrigatoriedade da Nota Fiscal Eletrônica (NF-e), além da inserção do SPED Contábil e Fiscal são tratadas como motivo de crise para algumas contabilidades.
Para outras, entretanto, isso se torna uma oportunidade. Assim, a Confirp Contabilidade criou uma nova área de atuação: a de Assessoria Corporativa, ou simplesmente CCO, que já está em funcionamento desde o início do ano, buscando se adequar à constante modernização que o Fisco impõe às empresas.

“Essa nova área tem o objetivo de adaptar a parte contábil das empresas à implantação de sistemas ERP’S, o que traz para empresas uma série de vantagens como: maior integridade das informações, redução de prazos de envio e possibilidade de direcionamento do profissional contábil para ações estratégicas”, explica o gestor do novo departamento Adailton Oliveira Dantas.

Os sistemas ERP’s (Recurso de Planejamento Empresarial) são compostos por uma base de dados única e por módulos que suportam diversas atividades das empresas. A figura a seguir apresenta uma estrutura típica de funcionamento de um sistema ERP. Os dados utilizados por um módulo são armazenados na base de dados centrais para serem manipulados por outros módulos.

“A criação dessa área vem suprir uma demanda percebida no mercado de maior especificidade na hora de passar essas informações, principalmente com essas ferramentas de gestão e com o início do SPED Contábil, Fiscal e a Nota Fiscal Eletrônica”, explica Dantas, que explica que no futuro todas as empresas deverão se adequar a essas tecnologias em função da exigência das leis tributárias.

Para que esse trabalho seja realizado de forma adequada a empresa investiu em profissionais especializados na área, atuando em parceria com as principais empresas do mercado: Protheus (Microsiga); E M S Datasul; Symphony; Linx; Oracle; Sap; RM; Jd Edwards e Oracle.

O que é NF-e e SPED
Segundo a consultora tributária da Confirp, Fernanda Penhorate, “a implantação do SPED (contábil e fiscal) e a NF-e também veio para combater a informalidade já que a receita passará a ter condições de acompanhar eletronicamente a vida as empresas”.
A Nota Fiscal Eletrônica é um modelo nacional de documento fiscal eletrônico implantado para substituir os tradicionais modelos 1 e 1-A, e futuramente os demais modelos existentes, facilitando a vida do contribuinte do ICMS e/ou IPI, assim como as atividades de fiscalização que podem acompanhar em tempo real as operações comerciais. A NF-e é o projeto pioneiro de três subprojetos que integram um programa do governo federal chamado SPED.

O SPED (Sistema Público de Escrituração Digital) veio para revolucionar a vida do contribuinte e do fisco Federal e Estadual, e futuramente o Municipal. Pois este programa visa a unificação das atividades contábeis e fiscais do contribuinte, que por meio eletrônico transferência das informações, que hoje são cumpridas com uma interminável preenchimento de formulários e livros. Ou seja, é a simplificação e padronização de muitos processos tributários.

Já são 40 atividades que já precisam emitir a NF-e e nos próximos meses mais 53 atividades passarão a ser obrigadas. Você encontra a lista completa no site www.confirp.com. O foco inicial está em empresas de grande porte e também para alguns segmentos específicos, mas não há dúvidas que a tendência é que todas as empresas sejam obrigadas a participarem do programa.
Fonte: Portal www.administradores.com.br

 

Posted in:

Deixe uma resposta