Cartão BNDES: Limite sobe de R$ 500 mil para R$ 1 milhão

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) ampliou para R$ 1 milhão o limite de crédito que pode ser oferecido aos clientes do Cartão BNDES. Anteriormente, o limite era de R$ 500 mil. O prazo máximo de amortização não foi alterado, permanecendo em 48 meses.

O produto é a principal linha de crédito oferecida pelo BNDES para as micro, pequenas e médias empresas. As operações do Cartão BNDES são realizadas por meio dos bancos que operam o produto, uma linha de crédito rotativo automática. As instituições financeiras são Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Bradesco e Nossa Caixa. A análise de risco é feita pelos bancos repassadores, que determinam o limite de crédito disponível para cada cliente.

Os clientes do Cartão podem ter acesso, por meio da Internet (www.cartaobndes.gov.br), a mais de mais de 18 mil fornecedores credenciados, entre fabricantes, distribuidores autorizados e prestadores de serviços, que disponibilizam em seus catálogos de produtos e serviços cerca de 125 mil itens autorizados para venda no Portal de Operações do Cartão BNDES.

Hoje já são mais de 230 mil empresas (97% micro e pequenas) que possuem o Cartão BNDES, perfazendo um limite de crédito total de R$ 9 bilhões para a aquisição financiada de máquinas, equipamentos, móveis e utensílios, insumos industriais autorizados e, mais recentemente, serviços tecnológicos voltados à inovação.

Até novembro deste ano, os desembolsos do Cartão atingiram R$ 2,2 bilhões, devendo fechar o ano com R$ 2,5 bilhões, o que representa um crescimento da ordem de 200% em relação a 2008. Outro destaque de 2009 foi a inclusão, nos financiamentos via Cartão, dos serviços voltados à inovação tecnológica para as MPMEs. Já são 65 fornecedores de serviços tecnológicos credenciados para o Cartão BNDES, e outros 25 estão em processo de credenciamento.

Estima-se que a ampliação do limite do Cartão para R$ 1 milhão por emissor atraia um número significativo de empresas para o Cartão BNDES, em especial as de médio porte, para as quais o novo limite permitirá a movimentação de quantias mais compatíveis com suas necessidades de investimento.

Fonte: Convergência Digital

Deixe uma resposta