Santa Catarina aperta controle sobre a sonegação com nota fiscal eletrônica

Mais 53 setores ficam obrigados a emitir o documento digital

A partir desta terça-feira, mais 53 setores da economia catarinense serão obrigados a emitir a Nota Fiscal Eletrônica (NF-e). Segundo o governo, além do menor custo para as empresas, o documento digital torna as transações mais rápidas e combate a sonegação.

Dados da Secretaria da Fazenda de Santa Catarina mostram que o Estado, que arrecada cerca de R$ 800 milhões por mês, perde pelo menos R$ 200 milhões com a evasão fiscal.

— Um dos principais benefícios da nota eletrônica é facilitar o controle sobre a sonegação, já que o processo será todo automatizado — afirma o auditor fiscal e coordenador da NF-e em Santa Catarina, Marcilino Figueiredo.

Ele revela também que grandes empresas estimam que a redução de custo com o documento eletrônico seja da ordem de 80%.

Mais de 14 mil empresas do Estado estão cadastradas automaticamente e já podem iniciar as operações com a Nota Fiscal Eletrônica, mesmo que ainda não sejam obrigadas a utilizar.

As que não foram incluídas na lista por estarem com os dados desatualizados podem consultar como proceder no endereço eletrônico da Fazenda em SC e, a partir da regularização, podem adquirir o aplicativo, que é disponibilizado de graça no site da Secretaria da Fazenda de São Paulo.

O software oferecido pelo governo é voltado, principalmente, a quem emite poucas notas por mês, já que alguns lançamentos de dados devem ser feitos manualmente.
Fonte: Graziele Dal-Bó

Ligue: 0800 723 6330 e receba um consultor da NFe do Brasil para esclarecer suas dúvidas

Deixe uma resposta