CIOs revelam estratégia para 2010

Gestores de tecnologia contam ações que delinearão a estratégia do próximo ano

Sped virou uma palavra frequente nos departamentos de TI em 2009. O Sistema Público de Escrituração Digital figurou entre os principais projetos tocados por CIOs ao longo do ano. Agora, com o ano entrando na reta final, chegou a hora de avaliar os resultados das ações e delinear a estratégia de tecnologia para 2010. No radar dos gestores, surgem questões como adaptação de processos, redução de custos e ferramentas para impulsionar negócio.
Depois atualizar o ERP (Dynamics, da Microsoft) para adequar-se às obrigatoriedades do Fisco, a área de tecnologia do Cinemark Brasil prepara iniciativas que nortearão os trabalhos do próximo ano. Solange Almeida, CIO da rede de cinemas, aponta para projetos de adoção de solução de nota fiscal eletrônica (NF-e), melhoria de processos para a área de compra e ações para intensificar questões de mobilidade.

A rotina na TI da empresa alimentícia Marilan parece não ter sido muito diferente do verificado no Cinemark nos últimos meses. “Os projetos tiveram, basicamente, relação com questões de legislação”, sintetiza Alberto Brunassi, gerente de tecnologia da companhia que, em outubro, irá se reunir com executivos das áreas de negócio para traçar as prioridades do ano seguinte.

No radar do gestor, encontram-se projetos de implantação de um sistema de business intelligence (BI) da fornecedora brasileira Execplan iniciado há poucos meses. Além disso, Brunassi revela que a área passará por um momento intenso de transformações ao longo de 2010. Segundo o gerente, corre uma avaliação tecnológica para iniciar processos de outsourcing, que visará dar à TI uma orientação mais estratégica e alinhada aos negócios da corporação.

Já o gerente de TI da Furukawa, Nilo Morikawa, depois de preparar os sistemas para as obrigações fiscais e contábeis, estabeleceu um projeto de BI como uma das prioridades para os próximos doze meses. Além disso, o executivo revela ainda intenções de contar com uma infraestrutura virtualizada de servidores.

Marcos Antônio Mazarin, que cuida da área de tecnologia da Merk, revela que, além da adaptação para o Sped, a TI da farmacêutica tocou um projeto de telefonia que deu mais agilidade ao time comercial. O executivo cita, ainda, esforços de consolidação tecnológica que visam melhoria de processos e redução de custo, já iniciado, e que se estenderá ao longo do próximo ano. A adoção de uma solução de relacionamento com clientes (CRM) também frequenta o roadmap de projetos.

Fonte: ITweb – Felipe Dreher

Ligue: 0800 723 6330 e receba um consultor da NFe do Brasil para saber mais sobre SPED e Nota Fiscal eletrônica

Deixe uma resposta