Meta do RS é ter metade das vendas com nota fiscal eletrônica

Porto Alegre, 18 (AE) – O secretário da Fazenda do Rio Grande do Sul, Ricardo Englert, calculou hoje (18) que, até o final do ano, as notas fiscais eletrônicas devem atingir metade de todas as vendas realizadas no Estado – em valores das transações comerciais. A ampliação do documento eletrônico, que a partir de 1º de setembro será obrigatório para mais 54 setores, é uma forma de combater a sonegação, disse Englert. A evasão fiscal é estimada em R$ 1,5 bilhão por ano no Estado. “A grande vantagem é que sabemos o momento em que a empresa emitiu a nota”, comentou.

O Rio Grande do Sul emite a nota fiscal eletrônica para 12 Estados que ainda não têm estrutura própria para operar o mecanismo. Onze mil empresas já estavam obrigadas a usar o sistema e mais 4,5 mil precisarão adotá-lo em setembro. A obrigatoriedade começou com dois setores em março de 2008, acompanhando um calendário definido pelo Conselho Nacional de Política Fazendária. (Confaz). Desde que o sistema começou a ser adotado no Estado, em setembro de 2006, o Rio Grande do Sul já emitiu 86 milhões de notas eletrônicas.

Englert participou hoje do lançamento simbólico da nota fiscal eletrônica de número 5 milhões da Dimed/Panvel, grupo farmacêutico de atacado e varejo com 250 lojas no Rio Grande do Sul e Santa Catarina – que emitiu o primeiro documento no Brasil em 2006. Fabricantes de óleos vegetais refinados, adubos e fertilizantes e tubos de aço são alguns dos setores em que a adoção do documento será obrigatória em setembro.
As informações são da AE

Fonte: Luana Rodrigues : Gazeta do Sul

Deixe uma resposta