Governo do Estado assina acordo para combater sonegação fiscal

O Governo da Bahia e o governo de São Paulo assinaram, nesta segunda-feira (10), acordo para adotar a substituição tributária do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) de sete tipos de produtos. A substituição tributária consiste em recolher o ICMS no estado de origem, que assume a responsabilidade de repassar a parte do dinheiro que cabe ao estado de destino.

A medida pretende reduzir em até 42% a sonegação de impostos nos segmentos de brinquedos, bicicletas, material de limpeza, farmacêuticos, bebidas quentes, materiais de construção e papelaria, que foram incluídos no acordo. A estimativa da Secretaria da Fazenda (Sefaz) é que a arrecadação anual aumente em R$ 70 milhões.
O secretário da Fazenda, Carlos Martins, explicou que, para produtos onde a produção é concentrada e o varejo disperso, “a substituição tributária facilita e agiliza a cobrança do ICMS, que é feito na fonte e sem desvios, reduzindo a burocracia, os custos e aumentando a arrecadação do estado”.

Bahia e São Paulo já implantaram também a Nota Fiscal Eletrônica, o Conhecimento de Transporte Eletrônico e o Sped Fiscal, “medidas que dão eficácia e eficiência à arrecadação de impostos”, disse Martins.
Além deste acordo com São Paulo, a Bahia realiza a substituição tributária para produtos farmacêuticos e bebidas quentes com os estados do Acre, Alagoas, Espírito Santo, Tocantins, Maranhão, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

Combate à Sonegação

Durante a assinatura do acordo, que teve a presença do governador de São Paulo, José Serra, o governador Jaques Wagner disse que a parceria “vai trazer benefícios para a economia baiana, não só pelo fato do aumento da arrecadação, mas principalmente pelo combate a sonegação, que é fundamental para dar igualdade à competição legítima que o mercado faz”.
O governador também ressaltou o protagonismo de Bahia e de São Paulo, quando o assunto é a administração tributária.

Fonte: Redação Correio

Deixe uma resposta